• Ana Caner

Você já teve Burnout? Estresse no trabalho: O que é e como evitar





A partir de 2022 a "síndrome de burnout", será incluída na Classificação Internacional de Doenças da Organização Mundial da Saúde (OMS).


A síndrome de burnout envolve um estado de exaustão emocional e física causada por estresse excessivo e prolongado no âmbito profissional.  Como o próprio nome diz, é uma síndrome, e não uma doença em si. Estima-se que 3 a cada 10 pessoas apresentem a síndrome de burnout. Para que você tenha clareza sobre o que se trata, saiba que:


Burnout é o termo usado exclusivamente para a síndrome resultante de altos níveis de estresse crônico em ambiente de trabalho. No entanto, ainda que causado por estresse em ambiente de trabalho, a síndrome de burnout traz consequências que afetam as outras esferas: social e familiar, e pode ter forte impacto na saúde física.


Caracteriza-se por:


Sensação de esgotamento: Sentir-se drenado emocionalmente, incapaz de corresponder satisfatoriamente às demandas constantes,


Sentimentos negativos relacionados ao trabalho: Perda de interesse e de motivação para exercer as funções requeridas.


Redução de produtividade: Falta de energia, sentimentos de não possuir mais recursos a oferecer.


É importante que você saiba que trata-se de um processo gradual. Os sinais e sintomas têm início de forma leve e se acentuam ao longo do tempo. Portanto, é extremamente importante que, logo aos primeiros sinais, se busque ativamente (sejam tomadas) medidas para redução do estresse.


Prestar atenção aos sintomas logo que eles se manifestem, e partir para ação pode prevenir maiores consequências. Ignorar os sinais em geral tem um custo extremamente caro para a saúde e para a vida pessoal, familiar, social e profissional.


Sinais e Sintomas do Burnout: (Lembre-se que nem todos estes sintomas precisam estar presentes):


Sentir-se cansado a maior parte do tempo

Dores de cabeça frequentes

Dores musculares

Alteração de apetiteInsônia

Redução de imunidade

Sentir-se desmotivado

Duvidar de sua própria capacidade

Sentir-se sozinho no mundo

Falta de satisfação com as conquistas e acontecimentos 

Isolamento

Procrastinação

Busca por escapes em comida, drogas e álcool

“Descontar”a frustração em outras pessoas


O que fazer?


Seja em qual estágio da síndrome você se encontra, os passos a seguir lhe ajudarão a mudar a situação e impedir que se agrave:


Reconhecer: Dirigir sua atenção aos sinais que se apresentam, sem menosprezá-los.


Seguir com suas atividades como se nada estivesse acontecendo, só agravará o problema. 


Saber que HOJE é o melhor momento para tomar uma atitude no sentido de reverter a situação.


Buscar ajuda profissional e formas de manejo de estresse. Alterações em estilo de vida incluem:


Alimentação

Exercícios físicos

Incrementar ou modificar suas conexões sociais

Reavaliar suas prioridades e valores


Desenvolver Inteligência Emocional e Resiliência ao estresse: Mindfulness é comprovadamente O método (sim, com O maiúsculo), pois tem se mostrado extremamente eficaz para redução de estresse e desenvolvimento de maior capacidade de adaptação aos estressores.


E você pode começar hoje mesmo a prevenir ou tratar-se: Estudo bastante recente (Dezembro de 2018) na Universidade de Wiscosin-Madison mostrou que algumas das práticas de mindfulness são as mais eficazes para redução de estresse. Estas estão compiladas e oferecidas aqui, para que você possa praticar já!



Que medidas você tem tomado para evitar o burnout?


Para o acompanhamento passo-a-passo para desenvolver inteligência emocional, reduzir o estresse e obter todos os benefícios de uma vida com mindfulness, o Programa PGE: O Poder do Gerenciamento do Estresse está disponível para acesso imediato em: http://bit.ly/bemvindoapres


RECEBA MUITO MAIS EM SEU EMAIL: http://bit.ly/insirameunome

2 visualizações

Evolução Humana

Contato

Seguir

©2020 Feito com amor em São Paulo, SP.